“ANJO OU DEMÔNIO”

Acabei de ver na TV que esse acontecido no RJ não foi o único acontecido em escolas no Brasil. Mais é o único que ganhou o noticiário internacional, e é comentado pelo seu “ineditismo”.  É lamentável o acontecido na escola do RJ, mas, convenhamos, já era de se esperar.

É paradoxal, mas quanto mais desenvolvida uma sociedade, mais doentes ficam aqueles que dela participam. O que aconteceu no RJ é resultado de uma sociedade doente. Sim, estamos doentes. Bom, mas quero me ater a uma pequena parte desta sociedade, a comunidade escolar, que é reflexo dessa sociedade doente em que vivemos.

Quando falamos da nossa situação escolar atual, é comum ficarmos saudosistas, relembrando como era no nosso tempo, a rigidez que “obtinha resultados”, a repetência por não conseguir atingir “o desejado”… Ficamos querendo “resgatar” aquele tempo. Impor ao jovem atual a ideologia fastidiosa de uma época enterrada.

É muito comum o uso da palavra RESGATAR na atualidade… Resgatar o quê?  Não dá para “voltar para trás”. É preciso CAMINHAR, e pelo que sei caminha-se para frente. O que foi no passado, pertence ao passado. Pode ser relembrado e consultado para que caminhemos avante, mas não dá para querer ver o jovem atual com os “olhos do passado”.

As relações dentro da comunidade escolar estão doentes. É uma bola de neve… O professor é desrespeitado pela estrutura inadequada, pelos salários miseráveis, por coordenadores inaptos, por diretores que não assumem seus cargos devidamente… Os alunos são desrespeitados por estes professores que já entram em sala carregando quilos de desrespeitos e muitos desses professores estão presos num passado saudosista; aguardam o segurança de uma aposentadoria ou de um din-din no final do mês. A agressão é de mão dupla. A família, desestruturada, que se abstém da educação dos filhos… e por aí vai…

Dentro da escola estão matando a individualidade, o sujeito. O estudante tem que se enquadrar ou são enquadrados nesse ou naquilo tipo. O título deste post foi retirado de um diálogo, na verdade de um monólogo feito por uma vice-diretora para um aluno e presenciado por mim. Fiquei numa situação difícil… não sabia o que fazer… meu desejo era dar uma bronca na vice, mas reprimi meu desejo e adoeci mais um pouco. Ela disse com todas as letras para um aluno de 5ª série/6ºano: “AQUI DENTRO VOCÊ VAI ESCOLHER SE VAI SER ANJO OU DEMÔNIO”. A criança chorava e ela: “NÃO ADIANTA DERRAMAR ESSAS LÁGRIMAS DE CROCODILHO”…

Estou recém chegado no sistema público de ensino. 03 meses. Não sou tão jovem, tenho 41 anos , 18 anos de carreira como artista… Meus olhos nestes 03 meses viram coisas assustadoras na relação dentro na escola. É um espaço em guerra, de uma enrgia em descontrole e onde só se pensa em punir. Estou inserido dentro dele, mas não quero participar desta guerra. Vou tentar fazer com que minha bandeira de paz seja fincada. Apesar de o tempo todo os que lá estão reforçarem que “não tem jeito”, “é assim mesmo”, “dá a sua aula e ganha seu din-din”. Eles tentam me corruptar para o lado deles.

ESPERO que este fato do RJ faça com que os “responsáveis pela educação” voltem seus olhos para a ESCOLA. Mas este OLHAR tem que ser um olhar livre de amarras, de prisões…

ESPERO que possamos trabalhar o complementar e não só o dual. ESPERO que um dia possamos ser ANJOS e DEMÔNIOS. Saber lidar com essas polaridades que se completam. Um não vive sem o outro. Sabendo lidar com elas, saberemos nos entender como SUJEITO.

 

 

Anúncios

3 comentários em ““ANJO OU DEMÔNIO”

  1. Oie,
    Fico feliz por compartilhar sua importante opiniao, a qual entendo perfeitamente e concordo plenamente, já q ñ só analisei o assunto como vivi situações semelhantes.

    Fui A.T.E. na escola da prefeitura por quase 1 ano, nesse periodo passei por 2 escolas, mas exonerei do cargo de tão indignada q fiquei c/ tudo (quase adoeci), eu me acovardei e decidi tentar outro caminho, mas sendo o homem maravilhoso, q percebo q é, vc ira conseguir manter-se em seus principios e continuar pela estrada escolhida, ajudando ativamente com sua gotas de orvalhos q formarão um imenso rio.

    Bjoes Paula

  2. Complicado viu ze,a relaçao entre aluno e professor e muito importante,ja nao basta a pessima realidade que alguns alunos vivem em casa,com pais violentos ,e chegam na escola o professor ,diretor e ate inspetor fazem pouco caso dos sentimentos do sujeito,e dose viu!tou passada com esse seu relato da diretora com o aluno,ela nao teve nem um pingo de sensibilidade com o aluno.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s