“Seja nas públicas ou nas privadas, o que encontramos é uma convivência entre iguais. Nossos filhos não conhecem a diferença, não são beneficiados pela riqueza da diversidade. Não conjugam a tolerância. Quando confrontados com a diferença – e não apenas a socioeconômica –, expulsam-na.” ELIANE BRUM

Achei o texto “Entre os muros da outra escola”,da jornalista ELIANE BRUM, muito interessante. Vale a reflexão e a procura de uma forma de atuação para reverter o quadro que se apresenta. O texto está disponível em http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI95467-15230,00.html

O texto trouxe à tona lembranças de tempos vividos. Me identifiquei com a personagem que disparou tudo. No ensino médio tentei fugir do que acontecia na escola, mas tive força para voltar e enfrentar tudo e todos. Lembro de ter dito a um dos meus perseguidores: “ninguém me manda embora de onde quero ficar. Agora terão que me aguentar”. Virei o jogo. Aos trancos e barrancos, choros escondidos, conversas comigo mesmo, buscando apoio em pessoas que eu queria e que me queriam por perto. Alguma vezes fiz o jogo deles…ficar com 04 meninas numa noite… Me violentei para dar o troco e dei… Tive estrutura para manter minhas convicções e não ficar na posição de vítima… Sei que não é fácil lidar que humilhações… várias vezes bati de frente, com professores e colegas, com aqueles que se utilizavam de seu status para humilhar… tomei as dores de muitos, enfrentei… Acredito que só pude fazer isso porque tive a oportunidade de estar O2 anos (anos 80) em uma escola (Associação educacional Picapau Amarelo – BH/MG )que foram o suficiente para me mostrar que valho muito mais, sendo quem sou, como sou e como penso, independente de poder econômico, cor de pele, deficiência, etc… Uma escola que valorizava a diversidade… uma ilha perdida num oceano de escolas em BH… Eu tive a sorte de passar por ela. E foram estes dois anos responsáveis por incutir em mim meu valor como pessoa, como ser pensante. Fiquei emocionado com o texto, com o personagem…

DIVERSIDADE SEMPRE!!!!!

Anúncios

Um comentário em ““Seja nas públicas ou nas privadas, o que encontramos é uma convivência entre iguais. Nossos filhos não conhecem a diferença, não são beneficiados pela riqueza da diversidade. Não conjugam a tolerância. Quando confrontados com a diferença – e não apenas a socioeconômica –, expulsam-na.” ELIANE BRUM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s