O CASO

Mais um exercíco de dramatúrgia.

O CASO

De José Antônio do Carmmo – Para uso do texto, favor consultar o autor.

CENA I – SALA DA CASA DO MINISTRO. EM DESTAQUE UM AQUÁRIO COM 07 PEIXES DOURADOS. MINISTRO FERNANDO E SUA ESPOSA LETÍCIA.

Fernando: Já disse que não devolvo.

Letícia: Mas você me deu no aniversário de 05 anos de casamento.

Fernando: Dei, mas você não merece ficar com elas. Depois do que você aprontou comigo.

Letícia: Eu não fiz nada. Você cismou com o meu colega de trabalho. Eu não traí você!!

Fernando: Essa história ta mal contada. Tem alguma coisa escondida aí. Você passa o tempo todo no trabalho e sempre acompanhada daquele sujeito.

Letícia: Já disse que é apenas trabalho. Mais que isso é coisa da sua cabeça.

Fernando: Tudo bem. É coisa da minha cabeça. Ficamos assim, então.

Letícia: Então devolve o que é meu. Você me deu.

Fernando: Não. Gastei muito dinheiro com elas. Dinheiro do meu trabalho. Você não merece ficar com elas.

Letícia: Bom, pensei que pudesse resolver isso como amigos, mas você prefere uma guerra idiota, não é?

Fernando: Pára com isso!! Você sabe muito bem o que fez. Quem começou a guerra foi você.

Letícia: Pelo amor de Deus, já disse que não houve nada com ele. Trabalhamos juntos, só isso! Não vamos tentar achar culpados pelo fracasso do nosso casamento. Vivíamos uma aparência!

Fernando: Tá. Nosso casamento já não existia, mas você não tinha o direito de me trair. Fui fiel a você, mesmo não tendo mais tesão em você. Respeitava nossa aliança.

Letícia: A falta de tesão não era só sua. Já tinha um tempo que a coisas não iam bem.

Fernando: Tá… chega! Não quero mais ficar falando sobre isso. Vai embora!!!

Letícia: Fernando, para com isso!! Quantas vezes vou ter que repetir. Não houve nada! Você cismou com ele…

Fernando: Tá… Vai embora!

Letícia: Eu vou, mas antes devolve minhas jóias.

Fernando: Aquelas jóias você não vê mais!

(toca o celular de Letícia)

Letícia: Espera. Alô! Oi. Não posso falar agora. Tá. Estou indo. Bom Fernando, tentei conversar com você e resolver numa boa, mas…

Fernando: Mas?…

Letícia: Volto depois para tentar uma última conversa.

Fernando: Não adianta. Não tem mais conversa. Qualquer coisa procure meu advogado.

Letícia: Você vais se arrepender dessa sua estupidez. (vai sair, vê o aquário) Vou levar o meu aquário…

Fernando: Seu? Quem sempre cuidou dos dourados, fui eu. Ele é meu. Você não vai levar mais nada daqui.

Letícia: Você é um imbecil mesmo. Você pensa que vou sair deste casamento sem nada?

Fernando: Peça o seu advogado para falar com o meu advogado. Eles se entendem.

Letícia: Pensei que tivesse casado com um homem. Estava enganada. Faça bom proveito. Engole os peixes e tudo!!

(Letícia sai)

Fernando: Até que enfim!! Enfim só!!! (liga) Alô!!! Conseguiu vender as jóias? Coloca o dinheiro numa maleta. Te encontro dentro de uns 10 minutos. (pega chaves do carro e saí)

CENA II – RUA A FRENTE DO GABINETE. UMA MANIFESTAÇÃO ESTUDANTES ACONTECE, COM FAIXAS, TAMBORES. ESTUDANTES E O MINISTRO FERNANDO

Estudante 1: MERECEMOS RESPEITO!!!

Estudante2: Quando a educação será uma coisa séria neste país??!!!

Grupo de estudantes: Exigimos nossos direitos!! Queremos fazer a prova. Nos preparamos para isso. ENEM!!!! ENEM!!! ENEM!!!

(Ministro chegando com uma maleta)

Estudante 1: Olha lá, o ministro!!!

Grupo de estudantes: Vamos senhor ministro, cadê a solução?

Fernando: (pára e fala com o grupo) Eu entendo a revolta de vocês. As provas vazaram. Já estamos atrás do responsável. Novas provas já foram feitas e em breve será marcada a nova data da prova. Ninguém sairá prejudicado. (tentando ser simpático) E no fim, vocês ganharam mais um tempinho para estudar e melhorar a nota…

Estudantes: Não queremos tempo, queremos prova!!

Fernando: Vocês a terão. Em outra data. (dá as costas)

Estudantes: Fora!!! Fora!!! Queremos um país que respeite seus estudantes!!!

(barulhos de batuques, gritos de ordem, ENEM ENEM)

CENA III – NO GABINETE – ASSESSOR E MINISTRO FERNANDO

Assessor: Até que enfim o senhor chegou!

Fernando: Tive uns problemas para resolver. A Letícia passou lá em casa.

Assessor: Se quiser, mando trocar o segredo das fechaduras…

Fernando: Não. Faço isso depois. Se fizer isso agora, aí é que ela não me deixa em paz. Já estou cheio de problemas.

Assessor: Por falar em problemas…

Fernando: Passei por um deles agora.

Assessor: Estão aí desde madrugada. Estão dispostos a ficar aí o dia todo.

Fernando: Dá um jeito nisso. Usa sua lábia e dispersa essa baderna.

Assessor: Para engrossar o caldo de problemas, as emissoras de TV’s estão querendo uma coletiva com você.

Fernando: Agora não. Não tenho o que falar. Já disse tudo o que podia ou sabia.

Assessor: Você sabe que sua cabeça pode rolar a qualquer momento…

Fernando: e precisa um palerma vir me dizer… é claro que sei… vá, mova-se… vai dar um jeito, contorna a situação, ganha mais um tempo… é para isso que pago seu salário!

Assessor: OK. Vou enfrentar as feras. É para isso que recebo o meu salário… (saí)

Fernando: Mais essa!!! A TV quer saber mais… como fui me meter nesta enrascada?!! (toca celular)

Fernando: Alô!!! É você. Estou com a outra parte do dinheiro… É a última vez que te dou dinheiro… Depois disso esquece esse maldito ENEM… Como? Quem vai pegar o dinheiro? Um estudante?!!! O quê? Aqui?… Não. Aqui não!!! Ta bom! Vou esperar… Como poderei identificá-lo? Um envelope lacrado com as fotos…. ta… Como? Ele vai dizer o quê? PEIXE FRITO? É isso mesmo? Você ta de gozação com minha cara??!! Ok… ok .. Não vou sair daqui.

Tenho que me livrar de qualquer coisa que possa me incriminar… depois é só arrumar um  para ser o culpado… um funcinariozinho qualquer…

Assessor: Ministro?!!

Fernando: Fala.

Assessor: Tem um estudante que insiste em falar com o senhor…

Fernando: Não vou falar com estes baderneiros…

Assessor: Ele disse que assunto importante e de seu interesse…

Fernando: Qual parte do “NÃO VOU FALAR COM ESTES BADERNEIROS” você não entendeu?

Assessor: Ok. Vou ver se ele deixa o envelope comigo então.

Fernando: (assustado) Envelope?!!!

Assessor: Sim. Ele não quer deixar comigo. Disse que tem que entregar pessoalmente…

Fernando: Mande-o entrar.

Assessor: Não entendi…

Fernando: Não te pago para entender… mande entrar.

Assessor: (aparte) Um dia desses dou um tiro na minha… não. Na cabeça desse sujeito!!

CENA IV – ASSESSOR, ESTUDANTE E MINISTRO FERNANDO

Assessor: Aqui está…

Ministro: (encarando o rapaz) deixe-nos a sós..

Assessor: Mas senhor é melhor que eu….

Ministro: Qual parte você não entendeu….

Assessor: (resmungando) qual parte você não entendeu… (saí)

Estudante: Problemas com o ENEM?

Ministro: Engraçadinho!!! O que tem para mim?

Estudante: Só este envelope, PEIXE FRITO!!!

Fernando: Passa prá cá!

Estudante: Pediram que levasse uma maleta em troca…

Fernando: Só depois que verificar o conteúdo do envelope….

Estudante: Eu te dou o envelope e você me dá a maleta…

Fernando: Ok.  Mas você só sai daqui com ela, se tiver tudo aqui dentro.

Estudante: Ok. (trocam)

Fernando: (abrindo o envelope e conferindo) É. Ta tudo aqui. As fotos, os negativos…

Estudante: (abrindo a maleta) É. Ta tudo aqui… a Bufunfa!! O Titio vai gostar…

Fernando: Então a família trabalha unida?

Estudante: É. Damos apoio moral uns aos outros…

Fernando: Saí dessa vida.. você é  novo, pode ser melhor que isso!!!

Estudante: Olha quem fala!!! Querendo dar lição de moral!!! Você é mais sujo que pau de galinheiro, cumpadre…

Fernando: Olha como fala…

Estudante: Olha como fala, o quê? Você recebe uma grana feia de salário e ainda tenta tirar mais grana vendendo provas do ENEM… não ta satisfeito com o teu salário de ministro? Pede demissão… Político vagabundo!!!

Fernando: Você não tem direito de me falar assim…

Estudante: Tenho. Falo em nome de todos os estudantes…. se pudesse contar o que sei…. Mas pode deixar que o assunto vai morrer aqui… Sua cabeça vai rolar a qualquer momento… é melhor ficar quietinho e sair sem ficar com o nome sujo e poder se candidatar a outros cargos… mas meu voto você não tem….

Fernando: Agora é você que quer me dar lição de moral? Olha para você! Acha que é mais limpo que eu?

Estudante: Tá legal!! Tô sujo! E daí?…. Eu ainda tenho tempo para me limpar velhote… (saí rindo)

CENA V – MINISTRO FERNANDO E ASSESSOR.

Fernando: Quando é que esta tempestade vai passar meu Deus???

Assessor: Senhor!!! O Senhor está bem?

Fernando: Olha para mim! Pareço bem?

Assessor: aparentemente, sim.

Fernando: Suma da minha frente puxa saco! Tira essa bandalheira da frente do gabinete… Não agüento mais ouvir essas vozes irritantes…

Assessor: Mas senhor, eles estão no direito deles… vivemos numa democracia…

Fernando: Tá. Vivemos numa democracia?… então, eu também tenho o direito de me manifestar?… (indo para cima do assessor)

Assessor: Tem senhor… mas cuidado com a forma de expressão…

Fernando: Vai tomar…

Assessor: Senhor, olha o protocolo…

Fernando: (gritando) CAFÉ imbecil e Some da minha frente, inútil!!!

Assessor: O senhor aceita um….

Fernando: (urra!!!) someeeeeeeeeeeeeeeeee!!!!!

CENA VI – MINISTRO FERNANDO E LETÍCIA (TELEFONE)

Fernando: (toca o celular) Quem será??? Ah não…. só falta mais essa agora… Fala Letícia…

Letícia: Problemas no trabalho querido?

Fernando: Vamos parar com essa ironia… você não lê jornais?

Letícia: a coisa deve ta pegando fogo por aí… tá nervoso…

Fernando: Vai desembucha… você não me ligou para perguntar do meu dia…

Letícia: Queria continuar a nossa conversa de hoje de manhã…

Fernando: Procure meu advogado.

Letícia: Calma. Não seja tão bruto. Preparei uma jantar para nós, na sua casa…

Fernando: O quê? Você está de novo na minha casa… saí já daí…

Letícia: Eu saio…. depois do Jantar… te espero…

Fernando: Letícia… você não pode ficar entrando na minha casa… desligou… Ah!!! Mais isso não vai ficar assim (anota na agenda) Manda trocar SEGREDOS urgente!!! (saí)

CENA VII – O CAFÉ- MINISTRO FERNANDO E ASSESSOR

Assessor: Senhor!!! O café estava tão bom e fresquinho que resolvi trazer para o senhor experimentar… (ministro passa por ele e não dá bola. O assessor fica parado com cara de tacho)… (a parte) O quesito principal para ser um político é saber ignorar aqueles que não lhe interessam…  (para o ministro) Senhor!!! Aonde senhor vai? Não se esqueça da reunião com o deputado… (vai saindo atrás do ministro, falando… ouvimos uma batida forte de porta… volta assessor toda lambuzado de café, sentido dor no nariz) Ai!! Ai!! Um dia desses cometo uma besteira e… (xingando) SEU FILHO DA PUTA!!!! Eu quem sou o imbecil!!!! Não tem espelho em casa não? O que não temos que tolerar por causa de um salário… aguento cada uma! Agora vou eu tentar arrumar boas desculpas para ausência dele na reunião… Fico limpando as sujeiras deste miserável… Mais um dia… (sai)

CENA FINAL – JANTAR NA CASA DO MINISTRO FERNANDO – PAULO, LETÍCIA E MINISTRO.

Fernando: (vendo o Paulo sentado à mesa) O que você ta fazendo na minha casa?

Paulo: Fui convidado para o jantar.

Fernando: Onde está Letícia?

Paulo: Na cozinha, terminando o jantar.

Fernando: Vocês dois sempre juntos! Depois é coisa da minha cabeça…

Paulo: Não é o que você pensa.

Fernando: Não, não é… é o quê então?  Vai-me dizer que é só amizade. Ela sempre me falava que você tinha um comportamento duvidoso… em seguida, fica para baixo e para cima  com você?… Ela encontrou o malandro dela…

Paulo: É apenas negócio, trabalho.

Fernando: Virou amante profissional, garoto de programa?…

Paulo: isso é coisa da sua cabeça…

Fernando: É. Eu carreguei coisas na minha cabeça durante muito tempo! Mais um pouco não conseguia entrar na minha casa…

Paulo: Cara, você é massante!!! Nunca tive nada com sua mulher, agora ex-mulher… é apenas trabalho. Vontade não me faltou, mas ela nunca quis nada comigo…

Fernando: Que ta fazendo aqui então?

Paulo: Vim finalizar nossos negócios.

Fernando: Como assim, finalizar? Já não te paguei o que me pediu. O que quer comigo?

Paulo: Eu? Nada. Agora…  meu sócio que ter uma conversa com você.

Fernando: Sócio?!! Você me garantiu que não tinha mais ninguém envolvido…

Paulo: Menti. Não sou o mentor da chantagem…

Fernando: Quem é este seu sócio?

Letícia: (trazendo os pratos e talheres) Oi querido!

Fernando: (disfarçando) Oi. Que história é esta de jantar?

Letícia: Calma. É só uma confraternização. Já volto…

Fernando: (para Paulo) Conversamos depois. Não quero ninguém mais envolvido nesta história…

Letícia: (trazendo uma taça de vinho e uma garrafa) Vamos nos sentar…

Fernando: Não tem cabimento, me sentar numa mesa com minha ex e seu…

Letícia: Olha o que vai dizer. Isso é assunto passado.

Paulo: É apenas negócio… (para ela) ele não acredita…

Fernando: (irônico) Tempos modernos!!!

Letícia: Bom, vamos parar de ironia e ir direto ao assunto…

Fernando: Não tem mais assunto… agora é com meu advogado.

Letícia: Eu não quero nada seu… Já tenho o que preciso…

Fernando: Vai me dizer que me encheu até agora, para abrir mão assim?

Letícia: Mas eu não abri mão. Eu tenho tudo o que quis.

Fernando: Como assim…

Paulo: O meu sócio… melhor, sócia…

Fernando: (espantado e sem ação)

Letícia: Isso mesmo… o seu dinheiro  é meu. O Paulo apenas me ajudou a te chantagear em troca de uma comissão…

Fernando: Por que você fez isso comigo?

Letícia: Não agüentei sua indiferença… Reclamava da mesmice e você dizia que era coisa da minha cabeça… Quando vi que íamos acabar nos separando… e o pior,  que eu sairia desta relação sem nada… Resolvi pegar o que é meu… você fez questão de casar com separação de bens… eu, uma ex-modelo e sem nada. Tudo que você tinha, você sempre jogava na minha cara que era seu…

Fernando: Mas tudo é meu… você não me ajudou em nada… pelo contrário, esbanjava meu dinheiro…

Letícia: Agora o seu dinheiro é meu. E o pior, sua cabeça ta a prêmio também…

Fernando: Você não seria capaz de armar um plano deste. Isso é coisa deste cafajeste!

Paulo: (ameaça dar um murro)

Letícia: Calma Paulo. Deixa comigo. Sempre fui sua bonita, seu brinquedinho, para levar em festas.. Dei uma de burra, de coitada… ouvia os comentários dos seu amigos quieta… Mas estava atenta ao que você fazia por debaixo dos panos… Sabia do seu envolvimento com as vendas das provas… Daí, bolei o plano… O Paulo me ajudou a ter as provas, a fotografar você e seus comparsas…

Fernando: Você já tem o que quer. Me deixe em paz.

Letícia: Eu deixo. Mas antes, um jantar de despedida…

Fernando: Não quero me despedir de alguém que não conheço…

Letícia: Conhece sim… foi você que me fez assim… me tratando como objeto, bibelô. Logo que casamos você me proibiu de trabalhar como modelo. Eu adorava o meu trabalho… fui uma besta em achar que era por amor… ciúmes de me ver desejada por outros… Você me queria como bibelô, pronta para te satisfazer…. depois de uns dois anos já me deixava em casa, jogada como um brinquedo quebrado… e eu queria você… você me repudiava…

Fernando: isso não é verdade!!! Eu….

Letícia: Cala boca!!! Agora eu falo e você escuta… Fui seu brinquedo e gostei de ser… não gostei de ser descartada… agora você está nas minhas mãos… Posso acabar com esta sua banca de moralista a qualquer momento…

Fernando: (ri) podia.. agora já não pode.. destruí aquelas fotos, os negativos…

Paulo: Babaca e ingênuo!!! (ri)

Fernando: Olha aqui seu cafajeste … (parte para cima de Paulo. Paulo desvia e dá um murro em Fernando)

Paulo: Otário!!

Letícia: Pára Paulo!! Você é muito ingênuo… então acha que era só aquilo que eu tinha contra você? Querido… você tem o rabo preso, muito preso ( joga uma foto e uns papéis encima de Fernando)… Tenho muita coisa contra você… isso foi só o começo…

Fernando: Cretina!!

Letícia: Vamos parar com a briga. Vim aqui para confraternizar… Temos negócios abertos ainda… Te preparei um jantar. Coma e reflita!! Te procuro depois e veremos como fechamos os nossos negócios… (grita para dentro) Pode trazer o jantar!!

(entra o estudante que esteve com o ministro no gabinete trazendo uma bandeja coberta)

Estudante: E aí PEIXE FRITO??  Seu jantar está servido!!!

Letícia: aprecie seu jantar… eu já me deliciei antes de você chegar… Te procuro depois para conversarmos… e não vá bancar o espertinho… posso servir sua cabeça numa bandeja para seus inimigos políticos.

Paulo: Aprecie seu jantar, babaca!!

Estudante: Até coroa!

(Saem. Fica em cena apenas ministro. Ele levanta do chão e vai até a mesa, tira a tampa e vê quatro peixes fritos… olha em direção ao aquário vazio…)

Fernando: OS DOURADOS!!!!

FIM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s